Manifestantes e polícia entram em confronto na Tunísia

Forças de segurança e manifestantes contrários ao governo entraram hoje em confronto na capital da Tunísia. Neste terceiro dia de violência no país, a polícia atirou gás lacrimogêneo e deu tiros de alerta para dispersar jovens manifestantes, que atiravam pedras contra as autoridades.

AE, Agência Estado

27 de fevereiro de 2011 | 11h33

As forças de segurança agiram para impedir os manifestantes de alcançar o Ministério do Interior, segundo repórteres da AFP. Os jovens gritavam frases contra o governo e atiravam pedras contra prédios. Eles também montaram bloqueios para impedir os policiais de avançarem. Três pessoas foram mortas ontem, quando um protesto contra o governo em Túnis se tornou violento e a polícia deu tiros de alerta e usou gás lacrimogêneo.

Os manifestantes exigem a retirada, do governo interino, de membros do regime de Zine El Abidine Ben Ali, cuja queda no dia 14 de janeiro, após semanas de protestos, provocou ações similares por todo o mundo árabe. Na maior manifestação contra o governo transitório, cerca de 100 mil manifestantes marcharam pela principal avenida da capital na sexta-feira gritando frases contra o primeiro-ministro Mohamed Ghannouchi, que fazia parte do governo de Ben Ali. Em resposta aos crescentes protestos, o governo interino anunciou na sexta-feira que vai organizar eleições até meados de julho. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.