Manifestantes e policiais entram em confronto no México

Manifestantes e policiais entram em confronto no México

Confrontos devem continuar e possivelmente se intensificar, uma vez que estão agendadas outras três manifestações para os próximos dias

O Estado de S. Paulo

20 de novembro de 2014 | 20h49

Manifestantes mascarados entraram em confronto com a polícia perto do aeroporto da Cidade do México nesta quinta-feira, quando dezenas de milhares de manifestantes protestavam contra o massacre de 43 alunos de uma faculdade de professores.

Dezenas de manifestantes jogaram pedras em cerca de 300 policiais da tropa de choque que se reuniram para impedir os manifestantes de ficarem muito perto do aeroporto. Os jovens lançaram coquetéis molotov em dois carros de polícia, que pegaram fogo. Os manifestantes também atiraram pequenos foguetes de tubos de metal. Os confrontos devem continuar e possivelmente se intensificar, uma vez que estão agendadas outras três manifestações.

Em uma cerimônia militar no início do dia, o presidente mexicano Peña Nieto suplicou pela paz. "O México foi ferido", disse ele , referindo-se aos alunos ausentes. "Mas a única maneira de aliviar a dor é através da paz e da justiça", acrescentou.

O sequestro dos alunos por policiais municipais em Iguala, uma cidade no sul do estado de Guerrero, devastado pela violência, mergulhou a administração Pena Nieto em sua maior crise desde que assumiu o cargo há quase dois anos. Embora o governo federal não seja responsável pela atrocidade, analistas dizem que ele tem ignorado as questões de segurança durante seus dois primeiros anos de mandato. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
Méxicoprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.