Manifestantes egípcios invadem barreira do palácio de Mursi

Manifestantes egípcios invadiram uma barricada de arame farpado que os separava do palácio presidencial no Cairo na sexta-feira, e alguns subiram em tanques do Exército agitando bandeiras.

Reuters

07 de dezembro de 2012 | 17h20

Até 10.000 manifestantes estavam encurralados atrás da barreira, que era guardada por tanques enviados na quinta-feira depois de uma noite de violência entre partidários e opositores do presidente islamista, Mohamed Mursi, na qual sete pessoas foram mortas.

Os manifestantes cortaram o arame farpado e centenas atravessaram e escalaram os muros do palácio, alguns beijando os policiais e soldados que o cercavam. "Da paz, da paz", gritavam.

Soldados da Guarda Republicana, que tinham decretado que manifestantes rivais deixassem a vizinhança na quinta-feira, foram para o portão central para proteger a principal entrada ao palácio.

(Reportagem de Yasmine Saleh)

Tudo o que sabemos sobre:
EGITOPROTESTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.