Manifestantes enfrentam a polícia e tomam canal de TV em Bangcoc

Emissora da oposição é vista como crucial na coordenação dos protestos dos 'camisas-vermelhas'

BBC Brasil, BBC

09 de abril de 2010 | 08h57

  

 

Milhares de manifestantes da oposição na Tailândia, movimento conhecido como os "camisas vermelhas", invadiram um prédio de um canal de TV que tinha sido fechado por ordem do governo na quinta-feira, 8.

A polícia usou bombas de gás lacrimogêneo contra a multidão, mas os manifestantes conseguiram furar o cordão de isolamento montado pelas autoridades e ocupar o prédio do Canal do Povo, da oposição, que foi fechado depois que o governo decretou estado de emergência na cidade. 

O clima nesta sexta-feira, porém, estava calma e não havia mais policiais e soldados no local. Os miltares haviam se retirado após a tomada do prédio pelos "camisas vermelhas".  Esta foi a primeira vez desde o início dos recentes protestos da oposição, um mês atrás, que a polícia usou de força contra os manifestantes.

Os "camisas vermelhas" - em sua maioria simpatizantes do ex-premiê deposto Thaksin Shinawatra - exigem que o primeiro-ministro Abhisit Vejjajiva renuncie ao cargo e convoque eleições, alegando que seu governo é ilegítimo.

Campanha

Os manifestantes começaram os protestos no último dia 12 de março, estabelecendo dois acampamentos em Bangcoc - um em frente à sede do governo e outro no distrito comercial, obrigando algumas lojas a fecharem. 

A oposição acusa o atual premiê de ser uma marionete nas mãos dos militares e exigem sua renúncia. Eles se reuniram em frente à sede do canal depois que o governo ordenou seu fechamento, acusando-o de incitar violência. O canal é visto como crucial na coordenação dos esforços da oposição, que prometeu colocá-lo de volta no ar.

Política

Thaksin Shinawatra foi deposto por um golpe militar em 2006 e condenado à revelia a dois anos de prisão, em um processo por conflito de interesses. Depois do golpe contra Thaksin, outros dois governos eleitos e formados por seus aliados políticos foram derrubados.

Em dezembro de 2008, depois de um grande protesto liderado pelo partido pró-Thaksin, a Corte Constitucional determinou que o partido era culpado de fraude eleitoral e proibiu seus líderes de assumir cargos políticos por cinco anos.

Os camisas-vermelhas integram a Frente Unida pela Democracia Contra a Ditadura (UDD) e são compostos principalmente por camponeses que foram beneficiados pelas políticas populistas de Thaksin e intelectuais que querem menos influência dos militares sobre o governo.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.