Manifestantes entram em conflito com forças de segurança na Síria

Agência estatal diz que 'instigadores' se infiltraram no protesto para causar tumulto na cidade de Daraa, no sul do país.

BBC Brasil, BBC

18 de março de 2011 | 16h39

Vídeos na internet mostram protestos contra o governo sírio

Forças de segurança da Síria entraram em confronto nesta sexta-feira com manifestantes na cidade de Daara, a cerca de 100 km ao sul da capital, Damasco.

A agência de notícias estatal síria Syrian Arab News (Sana) disse que as tropas tiveram que intervir no protestos após atos de violência e vandalismo.

Testemunhas descreveram choques violentos entre a polícia e os manifestantes, que pediam o fim da corrupção e mais liberdade no país.

Há relatos não confirmados de que pelo menos duas pessoas foram mortas e de que o governo estaria mandando reforços para a cidade.

Nos últimos dias, começaram a surgir na internet vídeos que, aparentemente, mostram protestos em outras cidades da Síria.

'Instigadores'

Segundo a Sana, "instigadores" se misturaram a algumas pessoas após as orações perto da mesquita Al-Omari, em Daraa, e "tentaram criar caos e tumulto, depredando propriedades públicas e privadas e ateando fogo a carros e lojas".

A Sana disse ainda que membros das forças de segurança intervieram para "proteger cidadãos e suas propriedades" e dispersaram os manifestantes.

Outra manifestação teria acontecido na cidade de Banias, na costa da Síria, sem maiores incidentes.

Segundo o site de oposição Free Syria, um funcionário da empresa de telecomunicações do país teria dito que autoridades ordenaram que as comunicações fossem cortadas em áreas onde acontecerem manifestações.

Desde o início da onda de protestos nos países árabes, em dezembro passado, não haviam até agora sido registrado relatos de grandes manifestações de oposição na Síria.

O presidente sírio, Bashar Al-Assad, ocupa o cargo desde 2000. Ele sucedeu seu pai, Hafez Al-Assad, que governou por 30 anos.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.