Manifestantes europeus são deportados do Laos

Cinco europeus presos por terem realizado uma manifestação pró-democracia no Laos foram julgados hoje e deportados do país comunista. "Eles não serão punidos nem presos, e o Ministério do Exterior vai tratar da deportação" dos acusados, disse um funcionário do Laos que pediu para não ser identificado. Segundo esse funcionário, os cinco europeus - três italianos, um belga e um russo, já foram levados às suas respectivas embaixadas. Os acusados poderiam ser presos por até cinco anos por terem interferido nos assuntos internos do Laos. François Zimeray, um advogado francês que visitou os europeus em um presídio de Vientiane, capital da nação sul-asiática, disse que as condições de saúde dos acusados era precária. Eles dormiam no chão e foram privados de remédios e água potável, além de terem sido isolados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.