Manifestantes franceses levam reclamações ao Parlamento

Misturando música rap com memórias do passado revolucionário da França, jovens de vizinhanças pobres principalmente de descendentes muçulmanos e africanos marcharam por Paris nesta quarta-feira para apresentar a coleção de 20 mil reclamações a legisladores, coletadas por todo o país e transcritas para cadernos de notas.A marcha, realizada por centenas de pessoas, acontece antes do anivesário, na sexta-feira, das fervorosas revoltas envolvendo descontentes jovens dos subúrbios parisienses. Muitos no páis temem uma nova explosão de violência. "O contexto ainda é o mesmo, nada mudou. Então a situação é propícia para outros eventos como o do ano passado", disse Samir Mihi, co-fundador do grupo AC-Le, o qual coletou a reclamação das minorias por toda a França. A polícia bloqueava os manifestantes à medida que eles se aproximavam da Assembléia Nacional, permitindo somente um pequenio grupo chegar ao Parlamento. Forças de segurança têm estado preparadas para novos casos de violência em volta da data de sexta-feira, dia 27. Muitas ruas ao sul de Paris foram bloqueadas por vans policiais durante esta quarta-feiras. As revoltas do ano passado nasceram, em parte, da raiva sobre a encrasvada discriminação contra imigrantes e seus filhos nascidos na França, muitos deles muçulmanos de ex-colônias francesas da África.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.