Manifestantes impedem premiê tailandês de entrar no gabinete

Milhares de manifestante impediram na sexta-feira o primeiro-ministro tailandês, Abhisit Vejjajiva, de entrar em seu gabinete, e prometem continuar o cerco até que ele renuncie.

KITTI, REUTERS

27 de março de 2009 | 08h56

Analistas dizem que a campanha, iniciada na quinta-feira, não representa uma ameaça séria ao governo de Abhisit, iniciado há três meses, mas pode dispersar os esforços das autoridades para recuperar a economia, afetada pela crise global e pela complicada situação política do país.

Líderes da Frente Unida pela Democracia contra a Ditadura acusam Abhisit de ser um fantoche dos militares, que depuseram em 2006 o primeiro-ministro Thaksin Shinawatra. O premiê nega a acusação.

"Ficaremos aqui enquanto for necessário para tirar Abhisit do cargo," disse à Reuters o deputado oposicionista Jatuporn Prompan.

No fim de semana, Abhisit resistiu com tranquilidade à tentativa da oposição de aprovar uma moção de desconfiança contra ele.

Para minimizar o risco de choques entre policiais e os manifestantes de camisa vermelha, o premiê e seus ministros evitaram ir à sede do governo.

No ano passado, o local passou três meses ocupado por manifestantes contrários a Thaksin, que também invadiram o principal aeroporto da capital.

Tudo o que sabemos sobre:
TAILANDIAPROTESTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.