Manifestantes iniciam operação para fechar Bangcoc

Manifestantes contrários ao governo começaram a ocupar importantes cruzamentos de Bangcoc neste domingo, numa tentativa de parar a capital do país. Os manifestantes pedem a renúncia da primeira-ministra Yingluck Shinawatra e a formação de um governo interino que implemente reformas vistas como necessárias para combater a corrupção.

AE, Agência Estado

12 de janeiro de 2014 | 16h25

Os protestos violentos começaram em novembro de 2013, depois de o Parlamento aprovar uma lei de anistia patrocinada por Yingluck. Essa lei beneficiaria seu irmão, Thaksin Shinawatra, premiê que havia sido derrubado por um golpe militar em 2006. Pelo menos oito pessoas já morreram nos protestos.

Os líderes do movimento disseram que os manifestantes ocupariam sete importantes cruzamentos de Bangcoc, e também ameaçaram ocupar instalações do governo. Mais cedo, alguns manifestantes bloquearam uma via no norte da capital, onde estão vários escritórios do governo, segundo um porta-voz da polícia.

Na sexta-feira, o vice-primeiro-ministro do país, Surapong Tovichakchaikul, disse que 12 mil policiais e 8 mil soldados foram destacados para manter a ordem na capital.

Os manifestantes prometeram manter Bangcoc parada por semanas, ou até conseguirem seu objetivo. O principal líder do movimento, Suthep Thaugsuban, ocupou o cargo de vice-primeiro-ministro no governo do Partido Democrata, entre 2008 e 2011. "Quero anunciar que as massas não aceitarão propostas de negociação", disse Suthep no domingo. "Nesta luta, derrota é derrota e vitória é vitória. Não há empate." Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
TAILÂNDIAPROTESTOS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.