Manifestantes invadem embaixada israelense no Cairo

Manifestantes egípcios atiraram pela janela documentos pertencentes à embaixada de Israel no Cairo após invadirem o edifício onde fica a representação diplomática, disseram testemunhas à Reuters nesta sexta-feira.

REUTERS

09 Setembro 2011 | 20h57

As testemunhas afirmaram que centenas de documentos voaram pelas janelas do edifício no bairro de Giza, na capital, onde os manifestantes destruíram um muro que cercava o prédio da missão. Segundo as testemunhas, um dos documentos era um pedido da embaixada israelense ao Ministério das Relações Exteriores do Egito pela liberação de uma arma para um adido diplomático.

O embaixador israelense, sua família e funcionários da embaixada escaparam para o aeroporto do Cairo, aparentemente para deixar o país, após a invasão da embaixada, disseram fontes no aeroporto.

Os israelenses seguiram até o aeroporto sob forte esquema de segurança e estavam em uma área reservada a espera de voos, segundo as fontes no aeroporto.

Segundo a TV estatal, o Ministério do Interior do Egito declarou estado de emergência e cancelou as folgas de policiais.

Testemunhas no Cairo disseram que os manifestantes tentaram invadir um complexo policial perto da embaixada e colocar fogo em um edifício vizinho, e que a polícia usou gás lacrimogêneo para dispersar a multidão.

Os ativistas também colocaram fogo em ao menos quatro veículos de polícia após destruírem o muro da embaixada, construído no início do mês para proteger a missão diplomática.

(Por Sami Aboudi)

Mais conteúdo sobre:
EGITOISRAELEMBAIXADA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.