Manifestantes marcham no centro financeiro dos EUA

Centenas de manifestantes do Ocupe Wall Street marcharam pelo distrito financeiro de Nova York nesta quinta-feira numa tentativa de impedir que os operadores chegassem à Bolsa de Valores de Nova York, prometendo um dia nacional de mobilização com reuniões em massa em outras cidades. A ação ocorre dois dias depois que as autoridades dispersaram o acampamento que provocou o movimento de protesto global contra a desigualdade econômica e a ganância.

Agência Estado

17 de novembro de 2011 | 16h44

No parque Zuccotti, centro dos protestos, centenas de pessoas empurravam barricadas de metal com que a polícia cercou a área. Uma tomada aérea ao vivo da televisão mostrava ondas de manifestantes e da polícia empurrando as barricadas que seriam colocadas novamente no parque mais tarde.

A multidão entoava "Todo dia, toda semana, fechar Wall Street", obstruindo as ruas ao se aproximarem da Bolsa de Valores. Segundo a polícia, cerca de 60 pessoas foram presas, inclusive várias que se sentaram no chão a um quarteirão de Wall Street e se recusaram a sair. Alguns policiais disseram que os manifestantes resistiram à prisão. A maioria dos manifestantes se retiraram. O protesto não atrasou a abertura da Bolsa ou atrapalhou os negócios, disse Rich Adamonis, porta-voz da Bolsa.

Em Los Angeles, cerca de 500 simpatizantes marcharam no centro financeiro da cidade, entoando "Os bancos foram resgatados, nós fomos vendidos". A polícia levou dois deles sob custódia.

O dia nacional de mobilização foi planejado antes da cidade e donos do parque dispersarem à força o acampamento de dois meses no Parque Zucotti, retirando tendas e sacos de dormir. Outros acampamentos surgiram pelos EUA, mas enfrentam cada vez mais pressão das autoridades locais, que alegam preocupações sanitárias. As informações são da Associated Press

Tudo o que sabemos sobre:
EUAprotestosWall Street

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.