Manifestantes ocupam embaixadas no Chile

Grupos de esquerda ocuparam, brevemente, nesta terça-feira, as embaixadas do México, Suécia e Portugal em Santiago, para protestar contra a proposta oficial de oferecer imunidade àqueles que derem informações sobre desaparecidos políticos. As representações diplomáticas foram ocupadas, pacífica e simultaneamente, por duas horas.César Quiroz, coordenador dos manifestantes, disse que eles exigem dos governos das embaixadas invadidas a designação de um inspetor ou relator "para revisar as medidas que o governo chileno está estudando" sobre os direitos humanos. O presidente Ricardo Lagos propôs o dia 12 de outubro como data para definir várias medidas sobre os abusos cometidos durante a ditadura do general Augusto Pinochet.A proposta com maior resistência entre as família das vítimas e o Partido Comunista é a que oferece imunidade a quem foi forçado ou intimidado a tomar parte na repressão e hoje não está sujeito a processo, em troca de informações sobre o paradeiro dos desaparecidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.