Manifestantes ocupam estação de rádio em Oaxaca

Manifestantes que exigem a renúncia do governador do estado de Oaxaca tomaram brevemente à força uma emissora de rádio na capital do estado, de mesmo nome, para transmitir na quarta-feira uma mensagem aos seus simpatizantes, convocando um protesto para o final de semana. Os integrantes da Assembléia Popular do Povo de Oaxaca (APPO), grupo que há seis meses realiza protestos exigindo a renúncia do governador Ulises ruiz, entre outras reivindicações, tomaram na quarta-feira as instalações da emissora "Ley 710". Os rebeldes ameaçaram o gerente da emissora Wilfredo Fernandez, que se não permitisse a transmissão, teria a rádio novamente ocupada. Membros da APPO e professores dominaram as instalações da emissora durante três meses. A gerência cedeu à pressão e permitiu a transmissão da mensagem. "Queremos manifestar que a APPO não morreu e que suas demandas seguem em pé, nossa luta é pacífica e terminará assim que cair Ulises Ruiz Ortiz, afirmou um dos manifestantes na mensagem. Sendo assim, os membros da APPO chamaram seus simpatizantes para participar de uma manifestação no dia 25 de novembro, com o objetivo de sitiar a Polícia Federal Preventiva, que faz a guarda da praça principal da cidade. No local estão acampados policiais federais que, no mês passado, tomaram a praça dos manifestantes da APPO. A polícia ainda controla a praça. A tomada da estação de rádio é parte de uma estratégia anunciada pela APPO na véspera, já que disseram que ativariam as brigadas móveis, que se encarregariam de "enclausurar" os escritórios do governo, para seguir criando um clima de ingovernabilidade neste estado para justificar a saída do governador. Na quarta-feira completou seis meses desde que 70 mil professores decretaram greve reivindicando aumento salarial, tomaram a praça da cidade, e foram reprimidos pelas autoridades, o que provocou o agravamento das tensões no estado. Após vários esforços de negociação entre o secretário de Governo (Interior) e os líderes dos professores da sessão 22 da Coordenadoria Nacional dos Trabalhadores da Educação, chegou-se a um acordo para a retomada das aulas no estado. O ciclo escolar começa a se regularizar em Oaxaca. Um total de 1.3 milhões de crianças estavam sem aulas devido à greve de professores. Ainda na quarta-feira, cerca de 24 simpatizantes da APPO fizeram uma manifestação em frente ao consulado dos EUA em Acapulco, no estado vizinho de Guerreiro, sul do país. "Se Ulises Ruiz não se vai, Calderón não assumirá", os manifestantes entoavam em coro, se referindo ao presidente eleito Felipe Calderón, que assumirá o cargo dia primeiro de dezembro. Entre os manifestantes havia alguns simpatizantes do ex-candidato presidencial da esquerda, Andrés Manuel Lopez Obrador, derrotado nas eleições de julho por Calderón, por uma diferença de menos de um ponto percentual.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.