Manifestantes ocupam ruas na Tailândia contra governo

Manifestantes ocuparam as ruas próximas ao Parlamento da Tailândia e tentam impedir o governo do país a apresentar o seu projeto político aos legisladores. A ação foi conduzida pela Aliança Popular para a Democracia - que pressiona pela renúncia do governo - e ocorreu após a detenção de dois líderes políticos do partido oposicionista. O governo do primeiro-ministro Somchai Wongsawat, que tomou posse em 25 de setembro, não pode começar a funcionar de maneira legal no país antes de apresentar seu plano de governo ao Parlamento."Nós marchamos para o Parlamento, que o governo fantoche usa como um meio para se manter no poder", disse Sirichai Miangam, um dos líderes manifestantes. A oposição insiste que falta legitimidade ao partido governista, o Partido do Poder Popular, mesmo após o grupo político ter obtido uma vitória clara nas eleições gerais de dezembro. Segundo a oposição, o sistema eleitoral vigente no país favorece a corrupção e a venda de votos e além disso a população rural tem pouca instrução para ser responsável na livre escolha dos seus representantes. Cerca de 300 policiais foram estacionados na frente do Parlamento na noite de hoje.A crise política na Tailândia começou em 2006, quando o primeiro-ministro do país, o magnata Thaksin Shinawatra, foi afastado por corrupção. O sucessor de Thaksin, Samak Sundarajev, sofreu o mesmo destino em 9 de setembro - a oposição agora quer o afastamento do atual premiê, Somchai, que é cunhado de Thaksin e do mesmo grupo político.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.