Manifestantes oposicionistas e policiais entram em confronto no Bahrein

Protestos foram organizados através de mídias sociais por grupos políticos e de direitos humanos

AE, Agência Estado

14 de fevereiro de 2011 | 09h47

Oposicionistas entram em confronto pelo segundo dia seguido. Foto: Hamad I Mohammed/Reuters

 

DUBAI - As forças de segurança do Bahrein dispararam nesta segunda-feira, 14, gás lacrimogêneo e balas de borracha para dispersar manifestantes que pretendiam realizar marchas de protesto, disseram testemunhas. É o segundo confronto desse tipo em dois dias na pequena nação, uma importante aliada do Ocidente e onde fica sediada a 5ª Frota da Marinha dos Estados Unidos.  

Veja também:

especial Infográfico: A revolta que abalou o mundo árabe

As redes sociais da internet foram inundadas com convocações feitas por grupos políticos jovens, ativistas pelos direitos humanos e outros para se realizar protestos hoje. O dia é simbólico no Bahrein, pois se comemora o aniversário da Constituição de 2002, que promulgou reformas democráticas, como a eleição para os membros do Parlamento. Mas os grupos de oposição querem mudanças mais profundas por parte da dinastia que comanda o país, como a transferência de mais poderes para o Parlamento e o fim do controle da monarquia sobre os principais postos do governo.

A maioria xiita do Bahrein - cerca de 70% da população - reclama de discriminação sistemática por parte dos governantes sunitas. Choques ocorreram em Newidrat, área de maioria xiita, no sudoeste do reino. Segundo as testemunhas, que pediram anonimato, há vários feridos pelos confrontos. Ontem, forças de segurança e manifestantes se enfrentaram no povoado de Karzakan, no oeste do país. Vários policiais e manifestantes ficaram feridos.

As autoridades prometeram reduzir os controles do Estado sobre os meios de comunicação. Na semana passada, o rei Hamad bin Isa Al Khalifa concedeu a cada família do país o equivalente a US$ 2.700, em mais uma tentativa de aplacar os protestos. As informações são da Associated Press.

Leia ainda:

linkArgélia promete pôr fim a estado de exceção

link Irã reforça policiamento para impedir manifestações

linkPremiê da Autoridade Palestina dissolve gabinete

linkManifestantes pró-governo e dissidentess entram em confronto no Iêmen

Tudo o que sabemos sobre:
Bahreinpolíticaprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.