Manifestantes pedem apoio do exército no Egito

Milhares de manifestantes egípcios desafiaram hoje o toque de recolher imposto pelo governo, se reunindo em frente ao edifício da televisão estatal, onde pelo menos um carro blindado estava estacionado. Segundo testemunhas, os manifestantes pediram o apoio do exército. "O exército e o povo, juntos" gritava a multidão em frente ao prédio, onde também funciona o Ministério da Informação e que fica perto da chancelaria do Egito.

AE, Agência Estado

28 de janeiro de 2011 | 16h31

O presidente Hosni Mubarak, que também é comandante das Forças Armadas, declarou um toque de recolher de abrangência nacional a partir das 18h de hoje até às 7h de amanhã (horário local) e pediu ao exército que trabalhe com a polícia para manter a paz. O governo enviou tanques para os subúrbios do Cairo, Alexandria e Suez, informou a agência estatal de notícias MENA.

Obama

Hoje o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, reuniu sua equipe de segurança nacional para discutir os protestos contra o governo no Egito. Auxiliares disseram que novas reuniões estão programadas durante o dia. O porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, pediu ao governo egípcio para respeitar os direitos humanos dos manifestantes e restaurar o acesso à internet, interrompido após a expansão dos protestos. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Egitopolíticaprotestosexército

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.