Manifestantes pró e contra governo se enfrentam no Egito

Pela primeira vez desde que o novo presidente do Egito chegou ao cargo, seus simpatizantes islamitas entraram em confronto com manifestantes liberais. O tumulto ocorreu nesta sexta-feira no Cairo, durante protesto de oposicionistas, e envolveu milhares de pessoas. Mais de cem pessoas ficaram feridas, segundo a agência de notícias do governo egípcio.

AE, Agência Estado

12 de outubro de 2012 | 18h45

Os partidários do presidente Mohammed Morsi invadiram o palco montado por manifestantes na Praça Tahrir, indignados com o que eles afirmaram ser insultos contra o presidente. Os envolvidos utilizaram bastões e pedaços de concreto nos confrontos e tiros foram ouvidos. O tumulto estendeu-se por horas.

Liberais e esquerdistas exigem mais ações de Morsi, que completou hoje 100 dias no cargo. Eles também querem mais diversidade no painel que escreverá a nova Constituição do país, que está repleto de integrantes da Irmandade Muçulmana, da qual faz parte o presidente.

A briga entre oponentes e defensores reflete as divisões políticas no Egito, que prosseguem mais de um ano depois da revolta que derrubou o ditador Hosni Mubarak. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EgitoconfrontoMorsi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.