Siphiwe Sibeko/ Reuters
Siphiwe Sibeko/ Reuters

Manifestantes protestam contra Obama perto de hospital de Mandela

Presidente americano chega hoje à África do Sul e pode visitar líder antiapartheid

O Estado de S. Paulo,

28 de junho de 2013 | 10h20

PRETÓRIA - Manifestantes sul-africanos que protestam contra a visita ao país do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se reuniram nesta sexta-feira, 28, a poucos quarteirões do hospital de Pretória onde o herói da luta contra o apartheid Nelson Mandela está internado em estado grave. Obama, que está no Senegal em viagem oficial, deve chegar hoje à África do Sul.

Cerca de 200 sindicalistas, ativistas estudantis e membros do Partido Comunista da África do Sul se reuniram na capital Pretória para protestar contra a visita de Obama neste fim de semana, chamando sua política externa de "arrogante, egoísta e opressiva".

"Ele veio como uma decepção, acho que Mandela também estaria decepcionado", disse Khomotso Makola, um estudante de direito de 19 anos.

O críticos sul-africanos de Obama têm-se centrado em particular sobre o seu apoio ao uso de drones no exterior, que segundo eles resultou na morte de centenas de civis inocentes, e seu fracasso em cumprir a promessa de fechar o centro de detenção militar dos EUA na Baía de Guantánamo, em Cuba, onde estão presos suspeitos de terrorismo.

Segundo a Casa Branca, a família de Mandela sobre uma visita de Obama ao histórico líder negro no hospital. Mandela, de 94 anos, está lutando contra uma infecção pulmonar que o levou a ser internado há cerca de três semanas.

"Vamos atender completamente os desejos da família Mandela e trabalhar com o governo sul-africano no que diz respeito à nossa visita", disse o vice-conselheiro de segurança nacional Ben Rhodes a repórteres no Senegal."O que a família Mandela considerar adequado é o que estamos focados em fazer em termos de nossa interação com eles."

Obama está na metade de uma viagem por três países da África, que a Casa Branca espera que sirva como resposta ao que alguns veem como anos de negligência por parte do governo do primeiro presidente negro dos Estados Unidos. Durante a viagem, Obama deve visitar Robben Island, onde Mandela passou anos na prisão.

Antes de deixar Dacar, Obama tinha agendado um encontro com agricultores e empresários locais para discutir as novas tecnologias que estão ajudando os agricultores e suas famílias na África Ocidental, uma das regiões mais pobres e mais propensas à seca do mundo.

Ontem, em discurso no Senegal, Obama disse considerar Mandela um herói. "Eu tive o privilégio de conhecer Madiba (como Mandela é carinhosamente chamado na África do Sul) e falar com ele. E ele é um herói pessoal, mas eu acho que não sou o único que pensa assim", disse Obama na quinta-feira. "Se e quando ele partir deste lugar, uma coisa que eu acho que todos nós vamos saber é que o seu legado vai se prolongar ao longo dos tempos." / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Nelson MandelaBarack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.