Jorge Silva/Reuters
Jorge Silva/Reuters

Manifestantes queimam bonecos de Maduro na Venezuela

Protestos na Semana Santa pedem a 'ressurreição' da democracia no país

O Estado de S. Paulo,

20 de abril de 2014 | 20h17

CARACAS - Centenas de manifestantes se reuniram neste domingo, 20, e realizaram uma marcha para exigir a "ressurreição" da democracia venezuelana e queimaram bonecos do presidente Nicolás Maduro e líderes do chavismo, chamando-os de "traidores do povo". Pela tradição cristã, no domingo de Páscoa, Judas é colocado na fogueira.

Apesar de milhões de venezuelanos se dirigirem para praias do Caribe e reuniões de família durante o período da Páscoa, os estudantes manifestantes têm procurado manter um movimento de quase três meses de protesto.

Os manifestantes se reuniram em uma praça de Caracas e seguiram até a sede da ONU. "Nós vamos ficar na rua até termos a democracia de volta", disse o líder estudantil Djamil Jassir à Reuters.

"Hoje estamos na rua, onde seguiremos e onde vamos reivindicar o que somos como venezuelanos: homens, cidadãos, mulheres, livres e dignos. Seguiremos adiante a cada dia, até conquistar a democracia", disse a deputada opositora María Corina Machado.

No distrito de Chacao, em Caracas, manifestantes mascarados montaram barricadas. Houve confronto com a polícia.

Os protestos anti-Maduro começaram em fevereiro e se tornaram violentos. Pelo menos 41 pessoas morreram nos confrontos entre manifestantes e forças de segurança, segundo dados oficiais./ EFE e REUTERS

 
Tudo o que sabemos sobre:
crise na VenezuelaNicolás Maduro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.