Manifestantes queimam estabelecimentos de origem ocidental no Paquistão

O protestos contra as caricaturas de Maomé saíram de controle em duas cidades do Paquistão, onde manifestantes queimaram uma loja da rede de lanchonetes americana KFC e atiraram pedras contr as janelas do hotel Holiday Inn e do restaurante Pizza Hut.Em Lahore, o principal centro comercial da próspera província de Punjab, cerca de 15 mil pessoas participaram das manifestações. O protesto foi organizado por um grupo religioso pouco conhecido, por uma das maiores escolas islâmicas da cidade e por associações de comerciantes locais que atacaram estabelecimentos e mercados na cidade.Forças de segurança efetuaram disparos para o ar, mas não conseguiram impedir que a Assembléia da província de Punjab fosse incendiada, assim como quatro prédios residenciais, um hotel, um restaurante KFC e o escritório de uma companhia de celular norueguesa. Dois cinemas na cidade também foram queimados.Um segurança atirou e matou dois manifestantes que tentavam entrar à força em um banco, afirmou o Ministro do Interior, Aftab Khan Sherpao e outras 11 pessoas ficaram feridas.Na capital, Islamabad, cerca de 300 quilômetros de Lahore, a polícia não controlou os manifestantes. Policiais apenas observaram enquanto cerca de mil pessoas corriam até a entrada principal do enclave diplomático local, quebrando placas nas ruas e janelas de um banco.Funcionários das embaixadas dos Estados Unidos e Reino Unido ficaram confinados até que reforços policiais com bastões e escudos usaram gás lacrimogêneo para dispersar os revoltosos. Cerca de 50 deles foram presos.Policiais suspeitam que a violência tenha sido incitada por militantes de grupos islâmicos com o objetivo de dirigir o furor em relação aos desenhos contra o governo pró-ocidente do presidente Gen. Pervez Musharraf.Cerca de 50 legisladores do parlamento federal realizaram uma breve reunião para avaliar a situação. O líder de oposição da coalizão islâmica, Hafiz Hussain Ahmad afirmou: "Temos que ir até as portas das embaixadas e levar nossa voz até os embaixadores. Existe raiva no mundo islâmico. Se eles não ouvirem, seus problemas aumentarão. Os protestos em toda a Ásia e no Oriente Médio diminuíram esta semana, incluindo no Afeganistão, onde 11 pessoas morreram na semana passada. Entretanto, ganharam força no Paquistão tomando uma virada violenta. Mais protestos estão sendo planejados no país nesta semana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.