Manifestantes saem do Ministério da Justiça da Ucrânia

Os manifestantes contrários ao governo ucraniano saíram nesta segunda-feira do prédio do Ministério da Justiça, após terem invadido o edifício durante a noite, o que levou a ministra da pasta a ameaçar pedir a imposição de estado de emergência. Embora tenham deixado o prédio, os participantes do protestos continuaram as manifestações do lado de fora, pedindo a renúncia do presidente Viktor Yanukovych.

Agência Estado

27 de janeiro de 2014 | 15h44

Três importantes prédios do governo no centro da capital ainda estão ocupados pelos manifestantes, dentre eles a prefeitura. A ministra da Justiça Elena Lukash disse na manhã desta segunda-feira que pediria ao Conselho Nacional de Segurança que impusesse um estado de emergência se os manifestantes não saíssem do prédio, embora não tenha determinado um prazo final para que isso acontecesse.

Lukash disse que os "chamados manifestantes" tomaram o prédio quando funcionários do Ministério estavam trabalhando em medidas para conceder anistia aos participantes dos protestos e para fazer mudanças na Constituição, que levariam o país de volta a um sistema no qual os poderes do primeiro-ministro são mais fortes.

Apesar da declaração de Lukash na manhã desta segunda-feira, o ministro de Relações Exteriores da Ucrânia, Leonid Kozhara, disse aos jornalistas que o país não tem planos para a imposição de um estado de emergência no país.

"Hoje, não estamos considerando a hipótese da introdução do estado de emergência. Atualmente, esta medida não está sobre a mesa", afirmou ele, acrescentando que espera que o Parlamento adote, na terça-feira, quando será realizada uma sessão extraordinária, leis que aliviem a crise. Fonte: Associated Press e Dow Jones Newswires

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.