Carolyn Kaster/AP
Carolyn Kaster/AP

Manifestantes se reúnem em frente à Casa Branca para pedir saída de Trump

Protesto ocorreu enquanto o presidente americano se preparava para discursar na última noite da Convenção Nacional Republicana

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de agosto de 2020 | 02h35

WASHINGTON - Centenas de manifestantes contrários ao racismo reuniram-se em frente à Casa Branca nesta quinta-feira, 27, para exigir a saída do presidente Donald Trump, no momento em que o presidente americano se preparava para aceitar oficialmente a indicação do Partido Republicano para disputar o segundo mandato.

"Temos que tirar Trump, temos que destruir o sistema completo. Precisamos de uma revolução", declarou Keherra Wedderburn, 18. "Este presidente e o vice não irão fazer nada, porque não são eles que levam tiros nas ruas", protestou a estudante negra, nascida em Houston, Texas.

Michael Legend, negro de 33 anos nascido em Washington, afirmou que "existem cada vez mais pessoas preparadas para que Trump renuncie ao poder".

A pouca distância dos manifestantes, o presidente americano se preparava para aceitar a indicação de seu partido com um discurso no jardim da Casa Branca. "Não queremos ver Trump aceitar a nomeação. O objetivo é colocar água no evento", disse Miriam Oppenheimer, que veio da Filadélfia para protestar.

"Trump incentiva seus apoiadores a serem violentos e nós incentivamos quem nos apoia a ser pacífico", assinalou Miriam, 53, que exibia um cartaz com a frase "A polícia é a ferramenta do fascismo".

Não muito longe desta manifestação contra o racismo, apoiadores de Trump se reuniram na National Mall, esplanada onde ficam os museus e monumentos oficiais da capital americana.  

As manifestações do movimento contra a violência policial e o racismo Black Lives Matter haviam diminuído nas últimas semanas, mas as feridas foram reabertas com o caso recente de Jacob Blake./AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.