Manifestantes se reúnem novamente em Burkina Faso

Manifestantes anti-governo se reuniram em Uagadugu, capital do Burkina Faso, novamente nesta sexta-feira, um dia depois de suas manifestações violentas levarem o presidente Blaise Compaoré, no poder há 27 anos, a concordar em abandonar o cargo no próximo ano.

Estadão Conteúdo

31 de outubro de 2014 | 09h13

Os manifestantes invadiram o Parlamento na quinta-feira para evitar que os parlamentares votassem para permitir que Compaoré conseguisse mais um mandato. Em resposta, foi declarado estado de emergência, os militares anunciaram a dissolução do Parlamento e prometeram um

governo interino que inclua todas as partes. Compaoré afirmou que iria liderar o governo de transição até as eleições do próximo ano e, em seguida, abandonaria o poder.

Apesar da declaração do presidente, os manifestantes se reuniram novamente nesta sexta de manhã no, mas poucas forças de segurança podiam ser vistas. Não ficou imediatamente claro se os manifestantes têm novas demandas. Na quinta-feira eles saquearam e incendiaram o parlamento, atacaram gabinetes de ministros e saquearam lojas.

Os EUA elogiaram o anúncio de Compaoré de que haveria uma transição democrática, mas as imagens de violência no país alarmaram muitos na comunidade internacional. O enviado da Organização das Nações Unidas (ONU) para a África Ocidental está viajando para o Burkina Faso nesta sexta-feira. Fonte: Associated Press

Tudo o que sabemos sobre:
Burkina Fasoprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.