Manifestantes tailandeses prometem expandir protestos

Manifestantes tailandeses provocaram hoje o fechamento do sistema de trens elevados de Bangcoc e prometeram expandir seus protestos de rua após semanas de demonstrações, as quais paralisaram a maior parte da capital. O primeiro-ministro, Abhisit Vejjajiva, disse esperar resolver a questão de forma pacífica ao mesmo tempo em que o governo cancelou a coleta de lixo no acampamento cercado, no distrito comercial da cidade, ocupado por milhares de manifestantes desde o mês passado.

AE-AP, Agência Estado

27 de abril de 2010 | 16h43

Com a paciência de muitos tailandeses chegando ao fim, o governo ainda tem de delinear um plano claro sobre como encerrar a crise depois de cancelar as negociações com os manifestantes, que consideram o governo ilegítimo e querem a dissolução do Parlamento.

"Nós reconhecemos que, a cada dia que passa, o povo da Tailândia sofre, mas queremos ter certeza de que há Estado de Direto", disse Abhisit à CNN. "Vamos tentar aplicar a lei com o mínimo de perdas e vamos tentar encontrar uma solução política, mas isso leva tempo, paciência e cooperação."

Pelo menos 26 pessoas morreram e quase mil ficaram feridas desde que os manifestantes, conhecidos como Camisas Vermelhas, começaram a ocupar partes de Bangcoc em meados de março, fechando hotéis cinco-estrelas e shopping centers e prejudicando a indústria do turismo no país.

Desde então, os Camisas Vermelhas ergueram uma fortaleza com barricadas feitas de bambu, pneus e cercas ao longo das ruas. Dentro do campo, milhares de partidários se amontoam sob grandes barracas comendo curry e sorvete servidos em caminhões e ouvindo os discursos de seus líderes por meio de uma rede de alto-falantes que se estende por quase 1,5 quilômetro.

A área, que já tem um forte cheiro de lixo e urina, pode se tornar mais suja depois de o vice-governador de Bangcoc, Pornthep Techapaiboon, ter ordenado a interrupção da coleta de lixo até que os Camisas Vermelhas - que bloquearam a intersecção com caminhões de lixo roubados - prometam parar de interferir no trabalho dos funcionários de limpeza.

Tudo o que sabemos sobre:
Tailândiamanifestantesprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.