Manifestantes turcos pedem que governo corte laços com Israel

Cerca de dois mil manifestantes fizeram um protesto em Istambul contra as charges de Maomé nesta sexta-feira, entoando "abaixo com Israel" e exigindo que o governo corte laços com o Estado Judeu. Esse foi a maior manifestação da Turquia relacionada às charges. Apesar de os desenhos terem sido publicados principalmente em países da Europa, os manifestantes também se mostraram contra os Estado Unidos e Israel.A policia prendeu cerca de 10 manifestantes de um subgrupo radical islâmico antes da multidão ser dispersada.O primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan recebeu os parabéns do Ocidente por exigir calma nas manifestações, mas seu governo criticou os desenhos.Durante a manifestação um grupo menor levantou uma bandeira que dizia "cruzados idiotas nós iremos acabar com todos vocês". Todos desse grupo foram presos pela polícia. O porta-voz dos organizadores do protesto, Ali Fuat Gunday, pediu à multidão para ficar calma e não deixar os incitadores arruinarem a manifestação. "São nossas atitudes extremas que ajudam a Dinamarca e os países do Ocidente. Vamos boicotar todos os produtos dinamarqueses de agora em diante", Gunday disse à multidão.Antes dos protestos, o Imam (clérigo da religião muçulmana) de uma mesquita pediu aos fiéis para mostrar seu descontentamento para com as charges, mas não provocar a violência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.