Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Manifestantes voltam a pedir a saída de premier húngaro

Centenas de pessoas participaram nesta quinta-feira, 14, de novos protestos contra o primeiro-ministro socialista da Hungria, Ferenc Gyurcsany, exigindo sua renúncia e chamando-o de "traidor", durante cerimônias para marcar uma data nacional. No ano passado, o governo já havia sido alvo de sete semanas de violentos protestos depois de o primeiro-ministro admitir, em uma gravação que acabou vazando ao público, que havia mentido a respeito do orçamento para ganhar uma eleição. Cerca de 300 pessoas pediram a demissão de Gyurcsany e o chamaram de "porco comunista" durante uma cerimônia diante do Parlamento, edifício-símbolo de Budapeste, epicentro dos protestos que deixaram 800 manifestantes e policiais feridos em 2006. O Parlamento continua cercado por barricadas e sob forte proteção policial, o que impediu a aproximação dos manifestantes que levavam bandeiras húngaras, nas cores vermelho, branco e verde, e listradas de vermelho e branco, símbolo da ultra-direita. A agência de notícias MTI disse que milhares de pessoas se concentraram diante do Museu Nacional, onde em 1848 começou a rebelião contra a dinastia dos Habsburgo, episódio que o feriado de quinta-feira rememora. Não há relatos de violência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.