'Manipulador' da Casa Rosada é alvo de protesto

O secretário de Comércio Interior da Argentina, Guillermo Moreno, tido como o ideólogo da manipulação de índices econômicos do governo da presidente Cristina Kirchner, foi alvo de um panelaço personalizado na noite de quarta-feira.

BUENOS AIRES , O Estado de S.Paulo

28 de setembro de 2012 | 03h05

Uma centena de pessoas manifestou-se nas portas do edifício de Moreno, no bairro portenho de Monserrat, para protestar contra a maquiagem dos índices de inflação, do PIB e de pobreza. Moreno, considerado o "manipulador-geral" de Cristina, estava em uma reunião com militantes no município de Olivos na hora do panelaço. Quando foi informado sobre a manifestação, o secretário fez comentários chulos sobre o protesto e foi ovacionado pelos deputados Carlos Kunkel e Diana Conti, integrantes da ala dura do kirchnerismo.

O ministro da Justiça, Julio Alak, afirmou que o secretário de Comércio foi "vítima de ameaças de morte com tons mafiosos e instigação à violência". Pela internet, circula uma fotomontagem que mostra Moreno deitado em um caixão com um tiro na testa. O secretário - considerado o homem que faz o trabalho sujo do governo Kirchner - costuma iniciar encontros com empresários com o intimidante gesto de colocar seu revólver em cima da mesa.

Ele também telefona para executivos às 6 horas - nos fins de semana - para exigir, em frases entremeadas de sonoros palavrões, que congelem preços ou deixem de importar produtos para não atrapalhar as contas do governo. / A.P.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.