Mantida condenação de americana por terrorismo no Peru

A Corte Interamericana de Direitos Humanos manteve a condenação de uma mulher dos Estados Unidos, presa no Peru por colaborar com a guerrilha marxista em atos de terrorismo, disse o presidente Alejandro Toledo. Perguntado sobre o resultado da análise do caso de Lori Berenson, Toledo disse a uma rádio que a corte "ratificou a sentença". "É sem dúvida uma grande satisfação e tranqüilidade para a Justiça peruana e todos os peruanos", completou.Telefonemas para a família de Berenson em Nova York não foram atendidos. Jose Luis Sandoval, advogado de Berenson no Peru, disse não ter recebido nenhuma notificação do tribunal. A Corte Interamericana, afiliada à OEA, debateu na semana passada o caso de Berenson e sua condenação a 20 anos de prisão. Lori Berenson, de 35 anos, abandonou os estudos no Massachusetts Institute of Technology e já está presa no Peru há nove anos. Ela nega ter cometido qualquer crime.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.