Manuel Rosales encerra campanha presidencial na Venezuela

O principal candidato da oposição à presidência da Venezuela, Manuel Rosales, fez nesta quarta-feira seu último comício de campanha em Maracaibo, capital do Estado Zulia, de onde é governador licenciado. Milhares de pessoas acompanharam o ato. Rosales disse que é preciso unir a sociedade e que os venezuelanos vão escolher no domingo entre dois modelos. ?Por um lado, os que acreditam na democracia, na liberdade e na justiça social, e de outro os que querem estabelecer um sistema castro-comunista, acabando com a liberdade das pessoas?, afirmou. "Vamos conquistar a liberdade deste povo que não necessita ser prisioneiro de nada", afirmou Rosales. Ele criticou Chávez por ter inaugurado o metrô de Maracaibo, no mês passado. Disse que a obra começou quando ele era prefeito e que a inauguração foi uma farsa, já que a obra não está concluída. Chávez encerra sua campanha com um comício em Ciudad Bolivar, no sul do país. Nesta quarta-feira, ele fez dois atos eleitorais nos Estados de Trujillo e Yaracuy. Chávez também disse que ao votar por ele os venezuelanos estarão escolhendo ?a liberdade, a igualdade, a alegria e o amor? e disse que é preciso evitar o espírito triunfalista. ?Vamos ganhar, mas ainda não ganhamos?, afirmou. ?Vamos dar um nocaute fulminante aos candidatos do imperialismo norte-americano. Vamos em direção aos 10 milhões de votos?, disse. Um das peças de campanha é o desenho de duas mãos abertas, com os dez dedos indicando 10 milhões de votos. Dos 27 milhões de venezuelanos, 16 milhões estão registrados para votar no próximo domingo. Rosales pediu que as pessoas saiam de casa para votar no domingo. Nas últimas eleições a abstenção sempre ficou entre 35% e 40%, já que o voto não é obrigatório. Rosales também convocou seus seguidores a promoverem um ?apitaço? e todo o país às 22 horas desta quinta-feira, para o que ele definiu como uma comemoração antecipada da vitória. No mesmo horário, Chávez vai dar uma entrevista ao canal estatal de televisão. O prazo para campanha eleitoral termina às 6 horas da manhã desta sexta-feira, dia 1º.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.