Mão transplantada é amputada

A pedido do paciente, cirurgiões amputaram a mão transplantada de um neozelandês que havia feito o primeiro transplante bem-sucedido depois que ele se recusou a prosseguir com o tratamento. O homem dizia que se sentia "separado" de sua nova mão. Marco Lanzetta, o médico italiano que participou da equipe internacional que realizou a operação, em um hospital de Londres, qualificou-a como um "amputação anunciada". Após o transplante de mão - uma cirurgia que durou 13 horas - a que se submeteu Clint Hallam em 1998, na França, o neozelandês enfureceu os médicos que realizaram a cirurgia por não manter contatos regulares com a equipe e se recusar a tomar os medicamentos prescritos. Em janeiro de 1999, Hallam se afastou dos cuidados médicos por dois meses. O professor Earl Owen, outro médico da equipe, atribuiu a esse abandono do tratamento o processo de rejeição do transplante que então se iniciou. O próprio Hallam, entretanto, falando a um programa da BBC, garantiu ter seguido estritamente a orientação dos médicos até começar o processo de rejeição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.