Maoístas do Nepal se aproximam da vitória em eleição

Os maoístas do Nepal caminhavam emdireção à vitória na primeira eleição realizada no país doHimalaia em um período de nove anos, segundo os cálculos maisrecentes divulgados no domingo. Os maoístas, que deixaram a insurgência dois anos atráspara entrar na disputa política, conquistaram 61 dos 108assentos anunciados até agora, além de manterem a liderançanuma proporção similar nos distritos eleitorais que aindacontabilizavam os votos, segundo autoridades. O resultado da eleição de quinta-feira, peça fundamental deum acordo de paz, surpreendeu muitos analistas que esperavam aascensão dos ex-insurgentes apenas como o terceiro maiorpartido local. Segundo Lok Raj Baral, do Centro Nepalês de EstudosEstratégicos, órgão privado de pesquisas, "é possível que eles(maoístas) conquistem a maioria". Para Baral, os resultados são um mandato de mudanças daineficiente e antiga ordem política. A eleição no Nepal deveescolher os 601 membros de uma assembléia que escreverá a novaConstituição do país, formalmente uma monarquia de 240 anos. Os maoístas, considerados anteriormente como semelhantes aoSendero Luminoso peruano, abandonaram a linguagem de Karl Marxe Mao Tse Tung, deixando de lado a nacionalização e afirmandoque os investimentos estrangeiros são bem-vindos em algunssetores da economia do país. Eles também são favoráveis à reforma agrária e aos esforçossociais para a erradicação da pobreza.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.