Maoistas matam 76 policiais na Índia

Rebeldes lançam série de emboscadas, indicando que a insurgência se mantém forte, apesar da ofensiva do governo

NOVA DÉLHI, O Estado de S.Paulo

07 de abril de 2010 | 00h00

Rebeldes maoistas mataram ontem pelo menos 76 policiais indianos em uma série de emboscadas cuidadosamente planejadas nas florestas do leste da Índia, revelando que a insurgência se mantém forte, apesar da ofensiva do governo.

Os ataques, lançados por cerca de 700 rebeldes no Estado de Chhattisgarh, foram os mais mortíferos contra o governo nos 43 anos de insurgência maoista.

Os rebeldes iniciaram os ataques ontem pela manhã, disparando contra um grupo de soldados que voltava para sua base após dois dias de patrulha na floresta. Vários outros soldados foram mortos por minas plantadas pelos maoistas, conhecidos como naxalitas, pela área de emboscada. Um grupo de reforço que tentava recolher os cadáveres também foi atacado pelos rebeldes. Dois helicópteros foram usados na operação de resgate.

O governo estima que o grupo, que surgiu em 1967, tenha entre 10 mil e 20 mil combatentes. Os maoistas, que dizem lutar em favor dos agricultores pobres, atualmente vêm atacando linhas férreas e fábricas, prejudicando negócios que potencialmente valem milhões de dólares por sua riqueza mineral. Segundo o governo, anualmente eles obtêm mais de US$ 300 milhões extorquindo companhias.

Recentemente, os rebeldes intensificaram seus ataques em resposta a uma ofensiva policial lançada no final do ano em vários Estados. As autoridades indianas disseram que, pela primeira vez, conseguiram debilitar o movimento insurgente. No entanto, os recentes ataques levantaram dúvidas sobre se as forças de segurança indianas estão realmente preparadas para enfrentar os maoistas. Vários especialistas questionam a ofensiva do governo, argumentando que os rebeldes têm mais familiaridade com o terreno.

"É uma operação imperfeita", disse K.P.S. Gill, um ex-oficial de polícia aposentado que está envolvido na ofensiva. Segundo ele, apenas o calor intenso já pode enfraquecer os soldados. As temperaturas na área podem chegar a 43 graus centígrados em abril.

Paralelamente à ofensiva, o governo indiano disse que estava pronto para discutir todas as demandas dos rebeldes maoistas, mas somente se eles abandonarem a violência. Cerca de 2 mil pessoas - entre elas policiais, civis e militares - morreram nos últimos anos em ataques lançados pelos insurgentes naxalitas. / REUTERS

PARA ENTENDER

A insurgência maoista surgiu na Índia como um levante de camponeses no vilarejo de Naxalbari (leste), em 1967, mas acabou se espalhando para uma faixa de 92 mil m² no centro e leste do país. Os rebeldes maoistas, conhecidos como naxalitas, dizem estar lutando por mais direitos para os agricultores e os negligenciados, especialmente os dalits (indianos de casta baixa). O grupo surgiu após a cisão do Partido Comunista da Índia, em 1967.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.