Maomé: 54% dos franceses discordam de publicações

Mais da metade dos franceses acreditam que os jornais erraram ao publicar caricaturas do profeta Maomé, considerando a atitude uma "provocação desnecessária", segundo uma pesquisa realizada pela empresa CSA. Ao mesmo tempo, 53% dos entrevistados disseram não entender a indignação dos muçulmanos com os cartuns, enquanto que 36% afirmaram que entendem.Apenas pouco mais de um terço das 1.000 pessoas ouvidas pela CSA acreditam que a publicação das caricaturas, que ofendeu profundamente o mundo islâmico, foi a resposta correta em nome da liberdade de imprensa. Por outro lado, 54% consideraram uma provocação inútil.Evocando a defesa da liberdade de imprensa, vários jornais franceses, assim como outras publicações através da Europa, reproduziram as charges de Maomé, que foram primeiramente divulgadas por um jornal dinamarquês em setembro do ano passado.A pesquisa foi publicada hoje pelo jornal La Croix. Não foi divulgada a margem de erro da sondagem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.