Efe
Efe

Maquinista de trem que descarrilou na Espanha será investigado

Polícia investiga se veículo estava em alta velocidade no momento de fazer a curva; 80 morreram

O Estado de S. Paulo,

25 de julho de 2013 | 12h49

SANTIAGO DE COMPOSTELA - O maquinista do trem que descarrilou matando pelo menos 80 pessoas no noroeste da Espanha será investigado pela polícia, disseram autoridades nesta quinta-feira, 25, sem identificar o suspeito.

O Ministério de Interior da Espanha elevou o número de mortos para 80 nesta quinta-feira e afirmou que 95 pessoas continuam internadas. O primeiro-ministro Mariano Rajoy visitou o local do acidente e decretou três dias de luto pelos mortos. "Para alguém natural de Santiago, como eu, este é o mais triste dos dias", disse ele.

Um dramático vídeo gravado por uma câmera de segurança e divulgado no site do jornal El País mostra o trem descarrilando ao fazer uma curva em alta velocidade e colidindo com um muro. O acidente ocorreu na noite de quarta-feira em Santiago de Compostela, cidade da Galícia.

O governo galego disse que o trem tinha dois maquinistas e que um deles está hospitalizado. Não ficou imediatamente claro qual deles está sendo investigado. Testemunhas contaram à imprensa espanhola que um dos maquinistas, Francisco José Garzón, foi visto auxiliando no resgate das vítimas e gritando ao telefone: "Descarrilei! O que eu faço?"

Segundo o El País, um dos maquinistas ficou preso nos destroços da cabine e contou por rádio à estação ferroviária que o trem havia entrado na curva a 190 quilômetros por hora. "Somos apenas humanos! Somos apenas humanos!", dizia o maquinista à estação, segundo relato do jornal a partir de informações de fontes próximas à investigação. "Espero que não haja mortos, porque isso vai recair sobre a minha consciência", teria dito ele.

As autoridades disseram que há pessoas de várias nacionalidades entre os 130 feridos, dos quais 36 - sendo quatro crianças - estão em estado grave. Na manhã desta quinta-feira, 12 horas depois do acidente, as equipes de emergência abandonaram a busca por sobreviventes e guindastes retiravam os destroços.

Uma fonte oficial disse que a alta velocidade do trem provavelmente foi a causa do acidente, mas o ministro de Obras Públicas afirmou que ainda é cedo para saber exatamente o que aconteceu.

Fontes próximas à investigação disseram ao El País que o trem viajava ao dobro do limite de velocidade para a curva acentuada onde o acidente ocorreu. Um dirigente do sindicato de ferroviários disse que o maquinista está sedado, mas que talvez possa ser visitado ainda hoje./ REUTERS e AP

Assista ao vídeo que mostra o momento do acidente:

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.