Marcha contra Chávez deixa um morto em Caracas

Pelo menos uma pessoa morreu e 26 ficaram feridas, entre eles dois militares, quando guardas tentaram impedir que a oposição entregasse a membros do G-15 denúncias sobre ações governamentais para impedir o referendo contra o presidente Chávez.Um grupo de manifestante tentou romper uma barreira de 200 guardas que protegiam o hotel sede da reunião do G-15. A polícia respondeu com bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha. Alguns manifestantes responderam atirando pedras.Um homem identificado como Alberto Aumaitre, de 65 anos, morreu ao ser atingido por uma bala no tórax, segundo informações do Hospital Universitário de Caracas. Um médico do hospital disse à AP que um jovem de 25 anos, identificado como Juan Carlos Lugo, que recebeu um tiro na cabeça, pode morrer nas próximas horas. O prefeito de Caracas, no entanto, disse que o rapaz morreu na sala de operações. Entre os feridos, alguns apresentaram lesões provocadas por armas de fogo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.