"Marcha dos Judeus" homenageia vítimas do Holocausto

Cerca de oito mil pessoas, na maioria jovens, participaram nesta terça-feira da chamada "Marcha dos Judeus Sobreviventes" aos campos de extermínio nazista de Auschwitz e Birkenau, na Polônia. Liderados pelo ex-primeiro-ministro israelense Shimon Peres, os participantes homenagearam as vítimas do Holocausto. Os participantes pararam na exposição de Auschwitz, campo de concentração aberto pelos nazistas durante a II Guerra Mundial, no "Bloco da Morte", no "Muro dos Fuzilamentos" e no Bloco 27, onde há uma relação de judeus vitimados. A marcha ocorre anualmente desde 1988 e a maior delas aconteceu em 2005, no 60º Aniversário da libertação de Auschwitz. Naquela oportunidade, cerca de 20 mil pessoas participaram, entre elas os então primeiros-ministros da Polônia, Marek Belka, e de Israel, Ariel Sharon, além de líderes de 50 países. O campo de concentração de Auschwitz, criado em 1940, foi o destino - na maioria das vezes final - de 1,1 milhão de judeus deportados de toda a Europa, entre eles 150 mil poloneses, além de 23 mil ciganos, 15 mil prisioneiros soviéticos e 24 mil pessoas de outras nacionalidades. Em Israel, bares, discotecas, restaurantes e outros locais de entretenimento baixaram as portas no início da noite de segunda-feira. A TV local transmitiu reportagens contando histórias de sobreviventes. Na manhã desta terça-feira, sirenes soaram para marcar um período de dois minutos de silêncio em homenagem aos cerca de 6 milhões de judeus assassinados durante a Segunda Guerra Mundial.

Agencia Estado,

25 Abril 2006 | 20h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.