Marcha Mundial de Mulheres transferirá sua sede para o Brasil

A marcha Mundial das Mulheres (MMM), um movimento internacional que defende os direitos femininos, transferirá sua sede da cidade canadense de Québec para São Paulo, informaram hoje à Efe fontes desta organização.A brasileira Miriam Nobre assumirá a coordenação do Secretariado Internacional (SE) da MMM, segundo a decisão anunciada durante o VI Encontro Internacional do movimento, inaugurado em 2 de julho, na capital peruana.As cerca de cem delegadas presentes ao evento definirão até amanhã, dia de encerramento, um plano estratégico de quatro anos.Uma integrante do SE, Nancy Burrows, disse que as participantes congregadas em Lima estão "muito contentes com o desenvolvimento do encontro, e com a participação de mulheres de todas as regiões do mundo".Em comunicado de imprensa divulgado hoje, ela explicou que o plano estratégico está entre "os objetivos fundamentais" deste movimento, que "articula cinco mil grupos de mulheres no planeta, identificadas com a luta comum de alcançar um mundo sem pobreza nem violência".O plano, que deve ser aprovado amanhã, terá foco em quatro assuntos: paz e desmilitarização; violência contra a mulher; emprego; e a soberania alimentícia e acesso a recursos.A MMM, com membros de 164 países dos cinco continentes, foi criada há dez anos, e atualmente tem como objetivo promover a Carta Mundial das Mulheres, promulgada em 2004.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.