Marcha pelo direito ao aborto reúne ativistas de 60 países

Centenas de milhares de mulheres participaram de uma marcha pelo direito ao aborto neste domingo nos Estados Unidos. A marcha aconteceu no National Mall e reuniu ativistas de mais de 60 países, incluindo Dinamarca e Alemanha. ?Em nosso país, é muito importante prestar solidariedade aos demais países para que se cumpram os direitos das mulheres?, disse Helena Pinto, presidente do UMAR, um grupo de Portugal, onde o aborto é permitido.Momentos antes da marcha, a senadora Hillary Rodham Clinton, que participou do evento, disse que a administração do presidente George W. Bush está ?cheia de pessoas? que consideram a legalização do aborto como ?a pior de todas as leis?. A senadora é mulher do ex-presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton.O evento, batizado de dia de Marcha pela Vida das Mulheres, trouxe a questão do aborto como o principal assunto, mas falou ainda de outras questões de planejamento familiar dentro do governo de Bush. Entre as medidas do atual governo, está a proibição de financiamento norte-americano a qualquer agência que sugira aborto aos pacientes.Essa foi a maior manifestação a favor do direito ao aborto desde 1992, quando foram reunidas em uma marcha mais de 500 mil pessoas. Neste domingo participaram cerca de 1.400 grupos pró-aborto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.