Marchas contra a guerra na França, Senegal e Bangladesh

Cerca de 7.000 estudantes, políticos e outros marcharam pelas ruas de Paris hoje para declarar sua oposição a uma guerra contra o Iraque, como parte de uma série de protestos antiguerra ao redor do mundo. Pequenas marchas ocorreram também em outras cidades francesas, como Marselha e Rennes. Além de críticas ao presidente americano, George W. Bush, os manifestantes na capital francesa gritaram "Não à guerra com o Iraque; Justiça e paz no Oriente Médio".Em Dacar, capital do Senegal, cerca de 1.000 pessoas marcharam pacificamente hoje pela ruas gritando "Bush, carniceiro, Blair, terrorista", para pressionar outros três países africanos que ocupam assentos rotativos no Conselho de Segurança (CS) da ONU - Angola, Camarões e Guiné - a votar contra uma resolução que autorize uma ação militar no Iraque. "Na África, conhecemos bem a guerra", disse Ibrahim Diedhiou, um dos líderes da marcha. "Temos que convencer as nações africanas a ajudar a promover a paz. Os três países (no CS) devem dar uma boa impressão a todas as nações africanas e mostrar que amam a paz".Enquanto isso, em Bangladeh, milhares tomaram as ruas da cidade de Daca para protestar contra a possível guerra no Iraque. Os manifestantes - que incluíam estudantes, políticos e cidadãos comuns - gritaram frases contra os Estados Unidos e queimaram figuras do presidente George W. Bush. "Os EUA são fomentadores do terrorismo porque eles querem atacar inocentes no Iraque por causa do petróleo", gritou um dos presentes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.