Maremoto mata diplomata brasileira e filho na Tailândia

Uma brasileira, conselheira da Embaixada do Brasil na Tailândia, e seu filho de dez anos morreram ao serem atingidos pelas fortes ondas provocadas pelo maior terremoto dos últimos 40 anos na Ásia. A carioca Lys Amayo de Benedek D´Avola, que mora na capital da Tailândia, Bangcoc, estava passando férias na paradisíaca ilha de Phi Phi, onde foi rodado o filme A Praia, com Leonardo DiCaprio.Ela havia saído com o filho e o marido para um passeio quando eles foram atingidos pelo maremoto. Os corpos dela e do filho já foram encontrados. O marido está ferido e foi levado para um hospital, segundo informações da embaixada brasileira."É um caso triste, uma colega, conselheira da embaixada", afirmou o ministro-conselheiro da Embaixada do Brasil na Tailândia, Fernando José de Carvalho Lopes. Segundo ele, a diplomata morava na Tailândia havia quase dois anos. O ministro-conselheiro disse que Phi Phi é uma pequena ilha da Tailândia, "muito turística e que foi muito afetada".Sem informações oficiaisA embaixada do Brasil na Tailândia está com dificuldades para ter acesso ao corpo que poderia ser da diplomata, segundo informa o correspondente Jamil Chade. Uma funcionária da embaixada foi enviada da capital Bangcoc à ilha, mas até o momento não conseguiu autorização para entrar no hospital onde estaria o corpo. "Há muita gente buscando parentes e amigos e por isso há grandes dificuldades em ter acesso ao interior do hospital. POr isso, ainda não temos uma confirmação visual", afirmou uma representante brasileira em Bangcoc.Em Bangcoc, o ministro-conselheiro da Embaixada do Brasil, Fernando José de Carvalho Lopes, participa de reuniões com o governo da Tailândia para obter informações sobre o desastre. Enquanto isso, o embaixador Marco Antônio Diniz Brandão está na ilha de Phuket prestando ajuda aos turistas brasileiros.?Sem documentos?Carvalho Lopes disse não saber de mais nenhum caso de brasileiro morto ou ferido no país, mas disse que a embaixada conseguiu localizar pelo menos dez casos de brasileiros enfrentando vários tipos de problemas. "São pessoas sem documentos, sem passaporte, sem recursos." Alguns casos foram informados pela família no Brasil, outros pelos próprios brasileiros que estavam passando férias na Tailândia.O embaixador Marco Antônio Diniz Brandão partiu para ilha de Phuket, uma das mais atingidas, para prestar assistência aos brasileiros que estão no local. Ele está levando passaportes de emergência para que os brasileiros possam deixar o país. Uma funcionária da embaixada foi para Krabi, outro centro turístico, para ajudar os brasileiros no local.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.