Marido de Benazir pede governo interino 'neutro' para eleições

Viúvo da ex-premiê diz que democracia pode ser garantida se comissão sem ligação com Musharraf liderar pleito

Efe,

05 de janeiro de 2008 | 12h32

O viúvo de Benazir Bhutto, Asif Ali Zardari, novo co-presidente do Partido Popular do Paquistão (PPP), pediu a formação de um governo interino que dirija as eleições previstas para 18 de fevereiro, em artigo publicado hoje pelo jornal The Washington Post. Zardari, que substituiu sua esposa à frente da legenda junto com seu filho de 19 anos, Bilawal Bhutto Zardari, insistiu em que "se pode salvar a democracia no Paquistão, e enfrentar o extremismo, se as eleições, quando ocorrerem, forem livres, justas e fidedignas". "Com este fim, é preciso garantir ao povo do Paquistão eleições que sejam realizadas sob um novo Governo interino neutro sem nenhuma proximidade do partido de (Pervez) Musharraf", o presidente do país, acrescentou. Ele pediu ainda que seja nomeada uma nova comissão eleitoral, "independente e autônoma", cuja composição seja decidida com a concordância de todos os partidos. As eleições inicialmente estavam convocadas para 8 de janeiro, mas foram adiadas até 18 de fevereiro após o assassinato de Bhutto, no dia 27 de dezembro. O pleito deveria ser vigiado por "observadores internacionais com acesso livre a todos os colégios eleitorais e o direito de fazer pesquisas na saída do locais de votação para verificar os resultados", afirmou. Além disso, "as campanhas eleitorais deveriam ser cobertas pela imprensa com as mesmas liberdades que tinha antes da imposição do estado de exceção no dia 3 de novembro". O novo líder do PPP também exigiu a restauração de um Poder Judiciário independente e a libertação de todos os militantes políticos, advogados e juízes que atualmente estão presos. "Os inimigos da democracia e da tolerância que tiraram minha esposa de mim e do mundo podem e devem ser deixados em evidência e marginalizados", afirmou Zardari, que acrescentou que alguns dos responsáveis do assassinato de sua esposa estão dentro do governo atual.Após declarar que "a ditadura e o fanatismo sempre foram rejeitados pelo povo do Paquistão", Zardari disse que "se forem realizadas eleições livres e justas, essas forças serão derrotadas novamente no dia 18 de fevereiro". Scotland Yard Um grupo de cinco investigadores da Scotland Yard visitou neste sábado, 5, o parque de Liaqat Bath, na cidade de Rawalpindi, onde a ex-primeira-ministra paquistanesa Benazir Bhutto foi assassinada em 27 de dezembro. A área, que foi limpa com mangueiras imediatamente após a morte de Bhutto, foi finalmente isolada por um contingente de forças policiais. Caminhões de bombeiros saíam do parque enquanto curiosos, que tentavam se aproximar do local, eram reprimidos pelos agentes. Uma fonte do Ministério do Interior do Paquistão não confirmou ou desmentiu que as medidas de segurança foram tomadas por causa da visita dos investigadores britânicos. A equipe da Scotland Yard, à qual o presidente do Paquistão, Pervez Musharraf, prometeu "máxima colaboração", chegou na sexta-feira ao país.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoBenazir Bhutto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.