Marido de refém pede que Venezuela não desista do caso

Com a decisão do governo da Colômbia de encerrar a mediação de Hugo Chávez nas negociações de libertação dos reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), a esperança do marido da ex-senadora Ingrid Betancourt, Juan Carlos Lecompte, é a de que o venezuelano não desista dos esforços, mesmo sem a permissão do presidente colombiano, Álvaro Uribe."Meu apelo é para que Chávez continue seu trabalho de negociação com a guerrilha, que ele estava fazendo muito bem, apesar de não ter mais a autorização de Uribe", afirmou Lecompte ao ?Estado?. Ingrid foi seqüestrada em fevereiro de 2002, quando era candidata à presidência da Colômbia.Segundo Lecompte, o anúncio do fim da intervenção de Chávez deixou todos da família muito tristes, mas não surpresos. "Uribe não quer resolver a questão dos seqüestros. Sempre que um acordo com as Farc começa a avançar, ele põe novos obstáculos", disse. Para o marido de Ingrid, o presidente venezuelano era a pessoa ideal para mediar com o grupo guerrilheiro a possível libertação. "Estávamos satisfeitos com o ritmo das negociações promovidas por Chávez. O acordo para termos uma prova de vida de Ingrid até o fim do ano era muito importante para nós", afirmou. A última vez que a família recebeu uma confirmação de que Ingrid estava viva foi em maio deste ano, quando o policial John Frank Pinchao conseguiu escapar do cativeiro e disse ter convivido com ela. MEDIAÇÃO CONTURBADA 04/6: Presidente colombiano, Álvaro Uribe, aceita libertar Rodrigo Granda, considerado o "chanceler" das Farc, a pedido do presidente francês, Nicolas Sarkozy, para que ele trabalhe no acordo humanitário 18/6: Granda viaja para Cuba 28/6: As Farc revelam que 11 deputados, reféns do grupo,morreram no dia 18 "em meio a troca de tiros com soldados colombianos" 15/8: Uribe nomeia a senadora Piedad Córdoba como "facilitadora" do acordo humanitário com as Farc 20/8: Chávez anuncia sua disposição de mediar a libertação dos reféns 26/8: Farc aceitam Chávez como mediador 31/10: Granda viaja de Havana para Caracas 02/11: O jornal El Nacional, de Caracas, anuncia encontro de Chávez com Granda 07/11: Chávez revela que o líder máximo das Farc, conhecido como "Manuel Marulanda", ordenou que os guerrilheiros dêem uma prova de vida dos reféns 07/11: Uribe e Chávez reúnem-se no Chile, durante a 17ª Cúpula Ibero-Americana, para discutir o assunto 20/11: Chávez reúne-se em Paris com Sarkozy e reitera seu interesse em um encontro com Marulanda 21/11: Uribe adverte que as Farc podem aproveitar as intermediações para retardar o processo de libertação dos reféns

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.