´Marine´ admite ter assassinado idoso no Iraque

Um fuzileiro naval dos Estados Unidos admitiu na quinta-feira ter matado a tiros um idoso, que tirou de sua casadurante uma operação contra insurgentes no Iraque, em abril do ano passado.Numa audiência em Camp Pendleton (Califórnia), o cabo TrentThomas, acusado do assassinato e seqüestro de Hashem Ibrahim Awad, na localidade de Hamdania, afirmou que levou o homem até a beira de uma estrada e depois se retirou para dar a impressão de que tinha descoberto alguém instalando explosivos."Atirei várias vezes no corpo de Awad e ele ainda estava vivo quando o sargento Lawrence Hutchins, chefe do pelotão, deu o tiro de misericórdia", disse o cabo na corte marcial, segundo fontes judiciais.Thomas acrescentou que tinha atuado por ordens de Hutchins.Pouco antes de Thomas se declarar culpado, o advogado do soldado Paul Cortez anunciou que ele vai confessar o estupro e assassinato de uma menina de 14 anos no Iraque.Cortez, de 24 anos, admitirá sua culpa também pelo assassinato de três membros da família da jovem, na audiência do próximo mês, disse o advogado William Cassara. A admissão foi negociada e permitirá a seu cliente escapar de uma condenação à morte."Nossa versão dos fatos é que ele sabia o que ia acontecer e participou como observador", afirmou o advogado. Ele acrescentou que seu cliente poderá testemunhar contra os outros acusados.James Barker também admitiu sua participação no mesmo caso, em novembro do ano passado, e foi condenado a 90 anos de confinamento numa prisão militar.O crime aconteceu em 12 de março de 2006. O assassinato damenina, de seus pais e uma irmã na aldeia de Mahmdiya, 30quilômetros ao sul de Bagdá, levaram as autoridades iraquianas a rever o status de imunidade das tropas estrangeiras no país.Antes de Thomas, outros três "marines" e um auxiliar médicotinham se declarado culpados de participação no crime. Os quatro receberam penas de 21 meses de detenção numa prisão militar, depois de aceitar testemunhar contra os outros participantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.