REUTERS/Charles Platiau
REUTERS/Charles Platiau

Marine Le Pen fará exames psiquiátricos por tuítes sobre o Estado Islâmico

Juiz determinou que a líder de extrema direita seja avaliada para determinar se 'é capaz de responder perguntas' ou 'tem anormalidades mentais ou psiquiátricas' por ter postado no Twitter em 2015 imagens de execuções realizadas pelo grupo jihadista

O Estado de S.Paulo

20 Setembro 2018 | 17h19

PARIS - A líder de extrema direita francesa Marine Le Pen anunciou nesta quinta-feira, 20, que um juiz ordenou que ela se submeta a um exame psiquiátrico por ter postado no Twitter em 2015 imagens de execuções realizadas pelo grupo jihadista Estado Islâmico (EI).

"Por ter denunciado os horrores do Daesh [sigla árabe do EI] em tuítes, a 'Justiça' me submete a um exame psiquiátrico! É incrível", afirma em uma mensagem acompanhada da ordem do juiz.

A ordem é datada de 11 de setembro e foi emitida por um juiz encarregado do processo legal no qual Marine Le Pen é acusada de divulgar imagens violentas. 

Ele exige que a presidente do Partido Nacional da Reunião (antiga Frente Nacional) seja submetida a um exame psiquiátrico "o mais breve possível".

O teste visa a verificar se ela "é capaz de responder perguntas" ou "tem anormalidades mentais ou psiquiátricas", afirma o documento.

Marine Le Pen publicou na mesma rede social em 2015 imagens de execuções cometidas pelo EI em resposta a um jornalista que comparou seu partido ao grupo jihadista.

"Isso é o Daesh!", escreveu Le Pen na mensagem junto com três fotos: a de um soldado sírio esmagado vivo por um tanque, um piloto jordaniano queimado vivo dentro de uma jaula e o do corpo decapitado do jornalista americano James Foley

A justiça francesa abriu no mesmo dia da publicação das fotografias uma investigação contra Le Pen por "divulgação de imagens violentas". / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.