AP Photo/Michel Euler
AP Photo/Michel Euler

Marine Le Pen troca nome da Frente Nacional

Entre os objetivos está o de deixar para trás o passado antissemita do partido

O Estado de S.Paulo

01 Junho 2018 | 20h35

PARIS - O partido extremista francês Frente Nacional (FN) de Marine Le Pen mudou de nome nesta sexta-feira para Agrupamento Nacional (AN). A alteração foi definida em uma consulta feita por questionário.

A mudança “encerra um capítulo da história de nosso movimento nacional iniciado há pouco mais de 45 anos, mas é para abrir outro capítulo que, acredito, não será menos glorioso”, declarou Marine em um comício em Baron, perto de Lyon.

Os militantes aprovaram a proposta em um voto por carta. Marine detalhou que 80,8% dos consultados votaram a favor da medida, com uma participação de 53% dos membros. Assim, o partido deixa seu nome histórico, Frente Nacional, que usou desde sua criação, em 1972.

Mas conserva seu logo, uma chama azul, branca e vermelha, as cores da bandeira francesa, envolvida por um círculo, cópia da logo do partido neofascista italiano Movimento Social Italiano (MSI), hoje desaparecido. O logo foi mantido para não perder o apoio dos contrários à mudança.

Com o novo nome, Marine quer deixar para trás o passado racista e antissemita, e selar alianças com outras formações. Rebatizar a Frente Nacional é uma “traição”, reagiu o cofundador do partido e pai da atual presidente, Jean-Marie Le Pen, de 89 anos.

A referência para Marine é o grupo que o FN conseguiu juntar entre 1986 e 1988, Frente Nacional-Agrupamento Nacional, que contava com deputados da direita, além dos extremistas. / AFP

Mais conteúdo sobre:
Paris [França] Marine Le Pen

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.