Marines estão prontos para caçar Bin Laden

Cerca de 1.600 marines, fuzileiros navais norte-americanos, estão preparados para unir-se aos comandos das forças especiais que já estão caçando o terrorista saudita Osama bin Laden em território afegão, informou, nesta terça-feira, o jornal dos EUA USA Today.O efetivo de fuzileiros está a bordo de dois barcos anfíbios de assalto - o USS Peleliu e o USS Bataan -, estacionados no Mar da Arábia, e pode desembarcar no Afeganistão a partir de caças de decolagem e aterrissagem vertical Harrier.A entrada desses soldados na perseguição ao terrorista marcaria a maior presença de tropas terrestres americanas no território afegão desde o início dos ataques americanos contra o país.A perseguição estende-se também a navios mercantes que deixam o Paquistão na direção do mar da Arábia. Patrulhas americanas têm revistado esses barcos e suas tripulações. As operações seguem-se a relatórios de inteligência, segundo os quais Bin Laden estaria tentando escapar do Afeganistão através da montanhosa fronteira com o Paquistão.Na semana passada, pelo menos oito membros da organização terrorista dirigida por Bin Laden, a Al-Qaida, foram presos por guardas paquistaneses ao tentar cruzar a fronteira. Um desses detidos, segundo fontes de inteligência do Paquistão e americanas, seria um dos principais colaboradores do terrorista saudita.No esforço para capturar Bin Laden, militares americanos transmitiram, nesta terça-feira, mensagens de rádio para a população civil do Afeganistão, oferecendo US$ 25 milhões de recompensa por informações que levem à prisão do terrorista.A mensagem foi transmitida a partir de uma estação de rádio instalada num avião EC-130 e conclama os afegãos a ajudarem a localizar "terroristas estrangeiros e seus lugares-tenentes" que atuam no Afeganistão."Como alguns desses covardes e assassinos estão escondidos por aqui, nós estamos pedindo sua ajuda", dizia a mensagem. "Com sua ajuda, daremos aos terroristas a Justiça por seus crimes."Segundo informações divulgadas pelo Departamento de Defesa do EUA na véspera, cerca de 500 comandos americanos já começaram a destruir pontes, montar barricadas e vigiar fronteiras em território afegão para evitar a fuga de Bin Laden, dos membros da Al-Qaida e de integrantes da milícia fundamentalista islâmica Taleban acusados de dar proteção ao saudita.Jornais do Paquistão informam ainda que chefes tribais afegãos também lideram buscas individuais em cavernas do país para encontrar Bin Laden.O embaixador do Taleban no Paquistão, Abdul Salam Zaeef, declarou, nesta segunda-feira, não acreditar que o terrorista ainda estivesse escondido na região do Afeganistão que permanece sob o controle da milícia.Zaeef deu a entender também que Bin Laden poderia ter até mesmo deixado o país. Mas os líderes militares americanos acreditam que ele esteja nas proximidades de Kandahar, reduto taleban do sul do Afeganistão.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.