REUTERS / LA (Phot) Arron Hoare / MoD / Crown Copyright / Handout
REUTERS / LA (Phot) Arron Hoare / MoD / Crown Copyright / Handout

Marinha britânica escolta navios de bandeira britânica através do Estreito de Ormuz

No ano passado, a Grã-Bretanha escoltou seus navios por um tempo na hidrovia mais importante do mundo, depois que comandos iranianos apreenderam um navio-tanque com bandeira britânica no Estreito

Redação, O Estado de S.Paulo

04 de janeiro de 2020 | 18h46

A Marinha da Grã-Bretanha acompanhará navios de bandeira britânica através do Estreito de Ormuz para fornecer proteção depois que os Estados Unidos mataram o comandante militar iraniano Qassem Soleimani, em um ataque aéreo, inflamando as tensões na região.

A Grã-Bretanha foi forçada a escoltar seus navios pela hidrovia mais importante do mundo para remessas de petróleo por um tempo no ano passado, depois que comandos iranianos apreenderam um navio-tanque com bandeira britânica no Estreito.

As forças britânicas haviam capturado anteriormente um petroleiro iraniano perto de Gibraltar, acusado de violar sanções contra a Síria.

O assassinato de Soleimani levantou temores de que os navios-tanque pudessem ser alvos novamente.

O ministro da Defesa britânico, Ben Wallace, disse que ordenou que o HMS Montrose e o HMS Defender se preparassem para retornar às tarefas de escolta de todos os navios que navegam sob uma bandeira mercante britânica.

Wallace disse que falou com seu colega dos EUA, o secretário de Defesa Mark Esper, e pediu moderação por todos os lados.

"De acordo com o direito internacional, os Estados Unidos têm o direito de se defender daqueles que representam uma ameaça iminente a seus cidadãos", acrescentou. / Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.