Marinha chinesa faz alerta a aeronave espiã dos EUA no Mar do Sul da China, diz CNN

A Marinha chinesa alertou uma aeronave de vigilância norte-americana que voava sobre ilhas artificiais construídas por Pequim no disputado Mar da China Meridional para deixar a área oito vezes, de acordo com a CNN, que estava a bordo do voo na quarta-feira.

REUTERS

21 de maio de 2015 | 08h52

Em um momento, após os pilotos norte-americanos responderem dizendo que estavam voando em espaço aéreo internacional, um operador de rádio chinês disse exaltado: "Aqui é a Marinha chinesa... Você sai!". O P8-A Poseidon, aeronave de vigilância mais avançada do Exército norte-americano, voou a 4.500 metros em seus pontos mais baixos, relatou a CNN.

O incidente, junto com os alertas recentes chineses a aeronave militar das Filipinas para deixar uma área do arquipélago Spratly, no Mar da China Meridional, sugere que Pequim está tentando impor uma zona de exclusão militar em suas novas ilhas.

Alguns especialistas de segurança temem sobre o risco de confronto, especialmente após uma autoridade norte-americana dizer na semana passada que o Pentágono estava considerando enviar aeronaves e navios militares para manter a liberdade de navegação em volta das ilhas feitas pela China.

Um porta-voz para o Ministério das Relações Exteriores da China disse que não estava ciente do incidente. "A China possui o direito de se envolver no monitoramento nos espaços aéreos e marítimos relevantes para proteger a soberania e evitar acidentes no mar", disse o porta-voz do Ministério Hong Lei.

Imagens feitas pelo P8-A Poseidon e transmitidas pela CNN mostraram uma multidão na construção nas novas ilhas, assim como navios da Marinha chinesa próximos. A CNN informou que foi a primeira vez que o Pentágono teve vídeos oficialmente declarados das construções chinesas e áudios de confronto à aeronave norte-americana.

(Reportagem de Dean Yates)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINAAVIAOEUAILHAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.