Marinha dos EUA cerca navio seqüestrado na Somália

A Marinha dos Estados Unidos enviou hoje mais barcos de guerra para cercar uma embarcação seqüestrada carregada de tanques feitos na Rússia. Segundo o governo norte-americano, a carga era destinada a compradores não identificados, no Sudão. O navio ucraniano era foco de "grande preocupação", informou um porta-voz da Marinha norte-americana. Os EUA temem que insurgentes islâmicos ligados à Al-Qaeda consigam os armamentos.Os piratas estariam pedindo US$ 20 milhões como resgate para liberar o navio e a carga. Há 21 reféns, entre ucranianos, russos e letões. Porém, um homem que se identificou como o capitão disse por telefone que um russo morreu de hipertensão ontem. Houve 24 ataques de piratas na costa da Somália neste ano, de acordo com o escritório marítimo internacional. O país não tem um governo de fato desde 1991, quando o ditador Mohammed Siad Barre foi deposto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.