Marinha dos EUA incorpora porta-aviões nuclear mais moderno da frota

Equipamento custou US$ 13 bilhões e deve começar a realizar missões somente em 2020

O Estado de S.Paulo

02 de junho de 2017 | 03h17

WASHINGTON - A Marinha dos Estados Unidos receberam o porta-aviões nuclear Gerald R. Ford, o mais moderno e caro de sua frota, com capacidade para 4.500 tripulantes e 70 aviões, informou a instituição. Apesar de já estar nas mãos da Marinha, não se espera que o porta-aviões faça missões até 2020.    

A entrega foi realizada nos estaleiros de Newport News, em Virginia, após vários testes realizados desde 26 de maio, informou na quinta-feira a Marinha. 

O equipamento é a joia da coroa da Marinha norte-americana, uma fortaleza impulsionada por energia nuclear, automações e tecnologias que permitem colocá-lo em funcionamento em tempo recorde. Seu preço foi US$ 13 bilhões.

Com o Gerald R. Ford, os EUA voltam a ter onze porta-aviõese Donald Trump prometeu aumentar até doze o número. 

Segundo Trump, o porta-aviões Ford "proverá as capacidades necessárias para nos mantermos seguros do terrorismo e lutar contra os inimigos nos próximos anos". Além de doze porta-aviões, Trump prometeu voltar a ter 350 navios de guerra, aumentar o efetivo de todos os segmentos das Forças Armadas e levar o poderio militar norte-americano a números recordes. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.